Uma extravagância da Chanel em Paris

Uma extravagância da Chanel em Paris

A marca francesa produziu outro bom momento de moda com uma visão do verão diante de uma plateia gigantesca.

A maioria dos 2679 convidados já tinha perdido o bronzeado do verão europeu, mas eles foram transportados de volta às férias graças a outro espetáculo impressionante da Chanel, apresentado dentro do maior espaço de exibição do planeta, o Grand Palais.

A marca criou uma praia de 80 metros que incluiu o som das ondas e um enorme céu azul ao fundo. As primeiras modelos caminharam descalças pela praia, e por um calçadão banhado pelo sol cercado por cercas de areia, diante dos convidados que estavam sentados em cadeiras de praia de madeira.

O cenário foi inspirado no destino das férias de verão da família do diretor criativo da Chanel, Karl Lagerfeld, em Sylt, a ilha alemã no leste do Mar do Norte, conhecida por suas praias infinitas, que mudam de forma constantemente.

 

Imagem Reprodução

 

Imagem Reprodução

 

Imagem Reprodução

 

O otimismo invadiu toda a cena ensolarada, desde a abertura do desfile, que teve a modelo holandesa Luna Bijl vestida em um terno branco em crepe com acabamento preto e um decote profundo na frente com zíper. Ela também usou luvas de couro preto com os dedos de fora e uma bolsa acolchoada de couro Chanel.

Karl combinou blazers de tweed com lapelas e bolsos em tom areia, coral e tons de pôr-do-sol com leggings; túnicas largas verde menta e rosa; e vestidos de babados, feitos em estampas de guarda-sol e cadeiras de praia.

 

 

Raramente o nome Chanel cobriu tantas roupas: de Kaia Gerber em uma blusa militar de algodão branco, com “CHA” em um bolso, e “NEL” no outro; em cristais de cintos; ou chapéus de jóquei em ráfia. Enquanto o C duplo foi visto em sandálias transparentes com saltos de acrílico e em várias pulseiras e colares.

De uma falsa cabana balinesa de palha e palmeira, Karl cumprimentou a plateia pela segunda vez consecutiva com sua “mão direita”, Virginie Viard. Um dia agitado para  Lagerfeld, que à noite vai celebrar a recente colaboração de sua marca homônima com Kaia Gerber, em sua sede no distrito de Saint Germain.

A posição exposta de Sylt no Mar do Norte permite uma perda contínua de terra quando há uma tempestade. Isso se refletiu de forma notável na passarela, que será desmontada em 48 horas. Ecologicamente correta, a Chanel utilizou as normas ambientais ISO 14001 para retirar areia de uma pedreira perto de Paris, que será utilizada na indústria da construção civil da cidade. Os assentos também devem ser utilizados em outros eventos. A Chanel pode ser um negócio de cerca de 10 bilhões de euros, mas ela sempre recicla a decoração de seus desfiles.

Depois do desfile, o público não queria ir embora do local, de tão encantador que estava. Uma hora depois das modelos terem saído da praia, estrelas do K-pop, clientes particulares chineses, garotas francesas da moda, jornalistas, publicitários, e até mesmo Pharrell Williams continuaram posando para fotos na ilha ensolarada da Chanel.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *