Último show de Jean-Paul Gaultier

Último show de Jean-Paul Gaultier

O “L’Enfant Terrible” da moda nunca para de surpreender. Ele anunciou nas mídias sociais que esse desfile de alta costura de 50 anos seria o último, sacudindo todo o sistema da moda.

Então, continuando com sua abordagem sutil, ele começou a comemoração com a cena (falsa) do funeral do filme de William Klein, de 1966, “Who Are You, Polly Maggoo?”. Luzes apagadas, cortina para cima e o show começou. O início foi uma reprise das cenas do filme, onde, no palco, modelos vestidos de preto estavam de luto em torno de um caixão com chifres carregado por dançarinos. Lá dentro, o renascimento da moda: a modelo Issa Lish, em um mini vestido branco de mangas bufantes e fita, começou a festa do entretenimento inesquecível.

Ele comemorou temas que sempre foram obsessões para ele: do jeans ao espartilho; os marinheiros; androginia; alfaiataria; às tradições do mundo. Foi uma festança de felicidade, e não houve nem um segundo de nostalgia durante toda a apresentação. Em termos de moda, na extensa coleção, ele se concentrou no upcycling, recuperando roupas e tecidos de épocas passadas e itens antigos que comprou nos mercados de pulgas, devolvendo-lhes uma nova vida.

Para esta ocasião, ele afirmou que o mundo está cheio de roupas, muitas vezes inúteis, então esse show também é um estímulo para reutilizar, reciclar porque um artigo de roupa adequada está vivo.

Parece estranho escrever sobre o último desfile de Jean Paul Gaultier, pois essa é a crônica de outra coluna da história de um estilo que deixará de nos excitar com sua visão. Nestes dias confusos (não apenas na moda) de talentos efêmeros, esses gênios puros também são tranquilizadores. É, talvez, mais uma piada do “L’Enfant Terrible”?

Veja alguns looks do desfile…

Grande abraço e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *