Jean Paul Gaultier em 50 anos

Jean Paul Gaultier em 50 anos

Famoso por seus espetáculos de moda e sua criatividade desenfreada, Jean Paul Gaultier está se preparando para comemorar seu 50º aniversário em janeiro com um show retrospectivo com mais de 200 looks que comemoram sua vida e carreira.

Representantes da maison com sede em Paris disseram que o evento será realizado no dia 22 de janeiro e será a primeira vez que o desfile de alta costura da marca não será realizado em sua sede em Paris.

Rebelde e inovador, Gaultier é conhecido em todo o mundo por sua moda icônica e disruptiva, como o sutiã de cone “Blonde Ambition” e suas saias inovadoras para os homens. Exposições como “O mundo da moda de Jean Paul Gaultier: da calçada à passarela” e seu cabaré autobiográfico “Fashion Freak Show” já cristalizaram seu nome na história da moda. E este próximo show não será exceção.

 

Imagem Reprodução

 

Enquanto a casa se prepara para a celebração, Sofia Celeste, do Portal NowFashion, conversou com o designer sobre sua vida e seus conselhos para os novos designers.

Você entrará na história como o designer que transcendeu a passarela, desenhando para o show Blonde Ambition de Madonna, “The Fifth Element”, de Luc Besson, e vários filmes de Pedro Almodóvar. Quais foram seus momentos mais arriscados na passarela?

JPG: Meu momento mais arriscado na passarela foi definitivamente meu primeiro desfile! Era os anos setenta. Era rock’n’roll e eu nunca tinha feito um antes, e era como pular na água e aprender a nadar depois. É claro que aprendi desde então, mas foi um espetáculo para lembrar e não repetir.

Você é realmente o rei do choque e pavor. Como a ironia e o humor têm um lugar na passarela?

JPG: O mundo já é tão sério e a indústria da moda é um negócio tão grande – precisamos de um pouco de leveza de ser e humor! É por isso que eu também embarquei em novas aventuras com o meu show, o Fashion Freak Show. A moda tem que ser uma celebração e diversão.

Falando em seu Fashion Freak Show foi realmente uma coleção de memórias na forma de música e dança. Tudo começou com uma cena de sua juventude: como um garotinho costurando um sutiã feito de jornal em seu ursinho de pelúcia Nana. O ursinho de pelúcia transexual chamado Nana foi o protagonista da produção teatral estrelada por Anna Cleveland. Foi certamente o ponto alto artístico da semana de moda de Paris. Quando é bom escolher arte ao invés de receita?

JPG: Eu acredito na liberdade de criação. Na verdade, aprendi o que “liberté” significava com Pierre Cardin quando eu trabalhava para ele quando jovem. Monsieur sempre me pressionava a expressar minha criatividade livremente. A moda não deve ser comercial ou surreal, mas expressar liberdade.

Como suas escolhas criativas foram recompensadas no final?

JPG: Acho que valeu a pena, pois comemorarei meu 50º ano na indústria no próximo ano com o meu desfile de alta costura em janeiro.

Que tipo de lembranças estéticas do seu passado você levará com você – quais peças estão na alma de suas coleções?

JPG: Minhas lembranças estéticas seriam o espartilho e o bustiê cônico, é claro; mas também a ‘marinière’, a saia de homem que fiz pela primeira vez em 1984 e o visual andrógino parisiense. Eu gosto de pegar elementos clássicos e códigos atemporais e retrabalhá-los, dar a eles um toque de punk!

Grande abraço e até breve!

Fonte: Portal NowFashion – novembro/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *