A androginia discreta de Givenchy

A androginia discreta de Givenchy

A maioria dos convidados que assistiram ao desfile da Givenchy, provavelmente nunca tinha ouvido falar de Annemarie Schwarzenbach antes do evento.

Esta escritora e fotógrafa, de pensamento livre e vanguardista, viveu sob a República de Weimar e era famosa por suas roupas masculinas e discretas.

Depois de sua contribuição para a cultura, ela agora desempenhou um pequeno papel na história da alta-costura. A sua estética refinada e minimalista foi perceptível ao longo do desfile. Em nossa era, e em uma temporada de moda marcada pela androginia, a visão discreta de cross-dressing apresentada foi perfeita.

A designer da Givenchy, Clare Waight Keller, estava em ótima forma para este desfile. Foram destaque, em particular, as calças cargo perfeitamente cortadas, de cintura alta e comprimento acima do tornozelo, com grandes bolsos. Algumas delas foram combinadas com belas jaquetas perfecto – jaqueta de motoqueiro em francês – ou jaquetas Eisenhower com ombros largos.

Para a noite, os vestidos de chiffon de seda plissada com sutiãs em forma de leque realmente se destacaram, assim como vestidos cocktail assimétricos de um ombro só com estilo grego minimalista.

 

Como o tema foi a androginia individualista, este foi um desfile misto. A coleção masculina também foi impressionante, com elegantes casacos de espião de couro, calças de paraquedista com linhas arredondadas ou uma jaqueta de motoqueiro sem mangas usada sobre um terno de lã listrada na cor cru.

Clare Waight Keller apostou em um final brilhante, com blazers metalizados para os homens, e vestidos tubinho de seda preta adornados com detalhes e tubos de prata, usados ​​com capas, para as mulheres. Em resumo, este foi o melhor desfile de prêt-à-porter de Clare Waight Keller para a maison Givenchy. Vestida com uma das calças cargo vistas durante o desfile, ela fez uma longa reverência, como se quisesse aproveitar este merecido momento de glória.

Intitulada “I Am Your Mirror” (“Eu sou seu espelho”), a coleção foi apresentada no Palais de Justice. A fachada do maior tribunal da França foi iluminada com o nome de Givenchy, flutuando misteriosamente no ar através de um jogo de lasers e jatos à vapor bem orquestrados.

Annemarie Schwarzenbach, suspeitamos, teria amado a imagem e ficaria orgulhosa de ver o seu estilo pessoal compartilhado por tantos jovens.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *